quarta-feira, fevereiro 28, 2007

A vida no planeta está hostil

Anos aqui neste planetinha azul e nunca me senti tão ET como nos últimos dias. Pessoas bacanas perdendo a dignidade por porra nenhuma, minha chefe dizendo que meus pensamentos sobre trabalho e horário flexível são provenientes de uma mente ainda não "domesticada", e o meu terapeuta diz que a crise de hérnia de disco é um sinal de que eu não estou aguentando o peso do ambiente lazarento da empresa.

Valha-me, Deus. Por que me fizeste tão fora de ordem? Eu não poderia ser um pouquinho mais submissa? Só um bocadinho. O suficiente para me contentar com um emprego público e fazer a revolução não-violenta em paralelo? No fundo, tudo o que eu queria era uma vida menos ordinária, nada mais que isso!

2 comentários:

Obi Jully Wan disse...

affe,
sinônimo de "mente não domesticada" é o ó do borogodó.

agora, o que vc quer dizer com vida menos ordinária? porque penso, que quem se submente a essas situações e, ainda assim, se julga evoluído, ou pensa que ser "domesticado" é algo bom, esse sim tem vida ordinária!


posso falar pra vc o que eu já disse antes? VOE, Lola, VOE!!!

Sua alma berra por isso. :)

Lola disse...

Menos ordinária no sentido de não ter que me deparar e perceber que o mundo está cheio de pessoas "domesticadas".
Aliás, eu me senti o verdadeiro Mogli, o menino lobo quando ouvi isso!
Devia dar uma de não domesticada mesmo e fazer cocô na mesa de todo mundo!!! Rolar a bosta literalmente, mas minha educação francesa não me permite!