quarta-feira, agosto 15, 2007

Tais sentimentalidades


Ela estava com saudades, mas não queria dizer. Ainda não era hora. Então, mandou um e-mail pedindo uma coisa pra todo mundo que trabalhava no mesmo local, mas sabendo que só ele poderia resolver o problema e teria que aparecer por lá. Era final de tarde e ela já tinha desencanado, quando ouviu uma voz muito familiar na sala. E o coração? O coração pulou, disparou, só faltou cambalear de tanta emoção.

O encontro foi rápido, ele disse oi, lhe deu um beijo no rosto, perguntou se ela estava trabalhando até mais tarde, amenidades. Ela? Ela é incapaz de descrever a roupa que ele estava, não conseguiu olhá-lo de frente, teve medo de desmaiar, de demonstrar todo aquele turbilhão que acontecia em sua alma. Ele pegou o que precisava, o beijo de despedida desta vez foi quase na boca, mas tinha gente por perto. Ela se fez de durona mais uma vez, mas por dentro sentia-se renovada. Havia muito tempo que não sentia o coração disparar, as pernas tremerem, o ar faltar, a vontade de sair gritando e dando cambalhotas de felicidade. Ela estava viva novamente, viva como há muito tempo não se sentia!

5 comentários:

Anônimo disse...

[Conheço essa sensação.]

Fiquei curiosa para saber o que aconteceu, ou acontecerá depois.

beijo
=**

Paulo Bono disse...

nada de fantasmas. yeah!
abraço

Lola disse...

Meu presente anda cheio de fantasmas do passado, um verdadeiro circo de horrores, mas este está bem divertido. Estou aprendendo a lidar com eles!
Bjo

Lola disse...

Hey, Gabi
Aos poucos vc saberá!
Bjo

Jamile disse...

Torço pelo final feliz!
Comecei a acompanhar a novela como eu acompanhava Marimar ( é sério, não tô tirando sarro...adoro finais felizes! )
beijos, tô com saudades de vc!
Jamile